No tratamento do câncer de mama a retirada dos linfonodos axilares (chamada de linfadenectomia) tem finalidade prognóstica, de planejamento terapêutico pós-operatório e de controle do câncer na axila.

 

O esvaziamento axilar é importante no controle local da doença e no planejamento dos tratamentos complementares, uma vez que se os gânglios axilares estiverem comprometidos será necessário um tratamento sistêmico com quimioterapia. No entanto, o esvaziamento axilar tem possíveis complicações como o linfedema, diminuição da sensibilidade da região axilar e do terço medial do antebraço e pequenas alterações nos movimentos do ombro.

 

A dissecção completa da axila envolve a retirada dos três níveis axilares, entretanto algumas complicações importantes podem ocorrer, por isso tem sido bastante discutida a validade das dissecções radicais, em relação ao prognóstico. A dissecção dos níveis mais baixos oferece a mesma informação, sendo de mais fácil execução e menor risco de complicações.