Próteses capilares oferecem diversos benefícios para as pacientes de câncer de mama que perderam o cabelo

Felizmente hoje em dia existem diversas técnicas que ajudam a disfarçar a careca, como as famosas perucas. Mas este não é o único recurso para a mulher que quer se reconhecer neste novo estilo e voltar a se valorizar. Criada no Japão recentemente, a prótese capilar produz um resultado natural e é imperceptível ao toque e ao olhar. A técnica implica na implantação dos fios de cabelo em uma película extrafina feita de silicone ou de uma rede especial, que é fixada no couro cabeludo da pessoa, proporcionando resultados agradáveis para seus usuários.

 

O dono da Natural Hair Studio, Bene Vinocur, que desde 2005 comercializa o produto para o público geral, há mais de 20 anos utiliza próteses capilares em sua própria casa. Sua esposa é portadora de alopecia e usuária de perucas. Em busca de algo mais natural, eles acabaram descobrindo o material em viagens que fizeram aos Estados Unidos e Europa. Bene afirma que ambos estão muito satisfeitos com os resultados, assim como muitas clientes que o procuram no salão. Ele diz que a técnica oferece diversas vantagens em relação às perucas “as próteses capilares são mais leves, imitam com perfeição os cabelos da pessoa, tais como o comprimento, cor, ondulação, espessura, volume e porcentagem de cabelos brancos; podem ser molhadas e lavadas no banho, na praia ou na piscina; podem mudar de penteado a qualquer hora; pode-se dormir com elas; pode-se praticar atividades esportivas, pegar vento, usar presilhas de enfeite, fazer rabo de cavalo, coques e muitos outros penteados”.

 

Apesar de não serem tão baratas, as próteses capilares apresentam vantagens em relação às perucas e a relação custo-benefício pode acabar sendo atrativa. O preço médio de mercado nas clínicas e salões de beleza de uma prótese feminina gira em torno de R$ 2.800,00.

 

Dona Regina Treiger Cherques é paciente de câncer de mama e atualmente está se submetendo ao tratamento de quimioterapia. Na busca de uma alternativa mais confortável para disfarçar a queda de cabelo, ela descobriu através do próprio oncologista a existência das próteses. “Quando ele me falou da prótese, imaginei que fosse ser absurdamente cara. Acabei descobrindo que o preço não é tão baixo, mas compensa em relação às vantagens que ela oferece e se colocarmos na ponta do lápis, acaba saindo mais barato que uma peruca comum, principalmente as feitas de cabelo natural”, conta.

 

As próteses são fixadas na cabeça com fitas adesivas ou colas desenvolvidas especialmente para esta finalidade. Estas colas são próprias para a pele e não causam nenhum tipo de alergia, coceira ou infecção na pele. Assim como com as perucas, o mercado oferece próteses naturais e sintéticas. Elas podem permanecer na cabeça por aproximadamente 20 dias, após este período se faz necessário trocar os adesivos. “Eu durmo, acordo e tomo banho com a minha prótese, sem precisar ficar me olhando careca o tempo todo. Só fui retirá-la depois de 23 dias de uso, para lavar na minha própria casa. Minha filha me ajudou a recolocá-la na cabeça, mas não foi difícil. No meio de tantos problemas, este passa a ser menos um”, diz.

 

Praia, sol, piscina e água salgada também não são proibidos. “Entretanto as que são feitas de cabelo natural sofrem da mesma forma que os nossos cabelos. A água salgada ou com cloro não estraga a prótese, mas é conveniente não exagerar”, adverte Bene.

 

A manutenção da prótese também não é nenhum bicho de sete cabeças. Para deixá-la sempre bonita e conservada, não há necessidade de grandes cuidados. O principal é saber a hora certa de trocar a fita adesiva. O tempo de duração da prótese varia de seis meses a dois anos, dependendo do material de base. As naturais costumam ser mais resistentes.

Márcia Bentes

Jornalista